Última hora

Última hora

Turistas e residentes estrangeiros tentam escapar ao "caos" no Egito

Em leitura:

Turistas e residentes estrangeiros tentam escapar ao "caos" no Egito

Tamanho do texto Aa Aa

No aeroporto do Cairo, os voos “charters” das agências de viagens deram lugar nos últimos dias, aos aviões alugados por vários estados para repatriarem os seus cidadãos.

Desde o fim de semana, que a maioria dos países desaconselha qualquer deslocação ao Egito.

No aeroporto da capital, um emigrante espanhol, afirma que decidiu partir, “porque a situação está a tornar-se complicada e perigosa e nós temos três filhas pequenas”.

“O meu marido trabalha na indústria petrolífera e vai permanecer no país, mas a empresa decidiu repatriar hoje os familiares e crianças”.

Uma situação que afeta também milhares de turistas, alguns dos quais ainda bloqueados nos hotéis de algumas estâncias balneares, sem possibilidade de acesso às aerogares.

Uma turista espanhola regressada a Madrid conta que, “no hotel onde estávamos os funcionários estavam de guarda à porta com bastões para evitar as pilhagens depois de um restaurante nas vizinhanças ter sido incendiado durante a noite”.

A Turquia já repatriou mais de 1400 cidadãos nacionais, a maioria turistas. À chegada ao aeroporto de Istambul, esta manhã, não escondiam o alívio de abandonarem uma capital em pleno caos.

“Vimos polícias aterrorizados, que deixaram de proteger a cidade para proteger apenas os seus familiares. Assistimos a pilhagens em toda a cidade. Quando soubemos que vários criminosos se tinham escapado das cadeias pedimos ajuda ao governo turco que ofereceu-nos a possibilidade de regressar a casa”.

As autoridades portuguesas afirmaram hoje ter enviado um avião hercules C-130 para a região para repatriar as cerca de uma centena de portugueses que vivem no país.

A embaixada está a dar instruções aos portugueses que querem sair do Egito para se dirigirem para as instalações diplomáticas na terça-feira de manhã.

As agências de viagem preparam-se agora para organizar também o repatriamento de milhares de turistas estrangeiros que se encontram no país, num momento em que várias empresas decidiram suspender todos os voos previstos para os próximos dias.