Última hora

Última hora

Dia de transição na revolta do Egito

Em leitura:

Dia de transição na revolta do Egito

Tamanho do texto Aa Aa

Foi ao final da manhã. Um grupo de apoiantes de Mubarak entrou na Praça Tarhir, no Cairo, desafiando os opositores ao presidente, em grande número desde há vários dias.

Oposição acusa o governo de estar por detrás da contramanifestação, de ter sido organizada pela polícia.

Além dos violentos confrontos, jornalistas foram também espancados e detidos. Os repórteres da euronews, no local, também confirmaram ter sido abordados por polícias à paisana, armados, que proferiram ameaças.

A manifestação pacífica transformou-se numa violenta batalha. De um lado, os apoiantes de Mubarak com alguma organização e mesmo com viaturas a dar apoio; do outro, uma multidão confusa onde momentos antes estavam mesmo crianças.

A contramanifestação surgiu depois de na noite anterior o presidente Hosni Mubarak ter anunciado que não se demitia, estava pronto a morrer em solo egípcio mas que também não se recandidatava nas eleições de setembro.