Última hora

Última hora

Correr sem utilizar os calcanhares

Em leitura:

Correr sem utilizar os calcanhares

Tamanho do texto Aa Aa

Até à data as grandes companhias de calçado desportivo não têm parado de nos tentar convencer das vantagens de ter uns ténis ou sapatilhas de corrida com umas almofadas de ar no calcanhar.

Adri Hartveld considera que estas almofadas de ar favorecem o surgimento de certas lesões e criou a tecnologia Healus.

O empresário holandês explica que “são sapatilhas de corrida sem calcanhar. Não têm calcanhar, mas têm uma placa anti-choque que substitui a almofada do calcanhar o que significa que o impacto do calcanhar é extremamente reduzido. Por isso, pode evitar inúmeras lesões.”

Adri Hartveld está a reinventar a sapatilha de corrida ao desenvolver um conceito completamente diferente que está agora a ser testado na Universidade de Staffordshire, no Reino Unido.

Nachi Chockalingam é professor de biomecânica Clínica e explica que “há muitas pessoas que apoiam o calcanhar no chão quando correm. Muito apoiam a parte do meio e outras a ponta do pé.”

As sapatilhas de Adri favorecem a utilização da parte do meio do pé como quando se corre descalço. O objectivo é de aliviar a pressão nos joelhos e no tornozelo.

“Nesta placa anti-choque, ou melhor o conceito por detrás da tecnologia patenteada é o de quando fazemos força não há calcanhar, por isso a força não passa pelo calcanhar, mas pelo meio do pé”, refere o professor Chockalingam.

Os pesquisadores estão a tentar fazer uma análise independente das sapatilhas no quadro de um projecto de pesquisa da União Europeia.

Nachi Chockalingam refere que “os dados que estamos a recolher vão dar-nos informação sobre a maneira como as articulações dos nossos membros inferiores trabalham. Estamos a analisar os ângulos dos quadris, dos joelhos e também temos medido a maneira como os músculos trabalham em comparação com o que acontece com as sapatilhas convencionais.”

Adri sabe que tem pela frente um grande desafio para convencer as marcas de calçado desportivo a comprarem a sua ideia. Mas à medida que o estudo continua, as reacções são positivas como afirma Adri Hartveld.

“Quando as pessoas as testam pela primeira vez basta apenas alguns passos para se adaptarem. E ficam surpreendidas com o facto de serem muito estáveis e também sentem que a sapatilha é muito mais flexível do que as outras sapatilhas e estão inclinadas para andarmos depressa e começarmos a correr muito rapidamente.”

heelless.org/