Última hora

Um testemunho da praça Tahrir

Em leitura:

Um testemunho da praça Tahrir

Tamanho do texto Aa Aa

Uma equipa de reportagem de euronews esteve na praça Tahrir durante os confrontos desta tarde e circulou nas ruas vizinhas, onde se prestavam os primeiros socorros aos feridos.

O relato do que se passou no local pela voz da jornalista Moina Fauchier Delavigne:

“Quando nos dirigimos à praça Tahrir fomos interpelados. As pessoas vinham ter conosco para nos mostrarem as vítimas da violência. Numa pequena mesquita, numa ruela à frente, dezenas de feridos estavam a ser tratados. A maior parte tinham sido apedrejados na cabeça. Vimos também um jovem com um golpe numa perna.

Um dos médicos no local confirmou-nos que tratou várias pessoas vítimas de facadas. Logo depois da nossa chegada assistimos a uma cena estranha: dois feridos foram levados. Tinham acabado de ser tratados e iam ser entrgues ao exército. Na verdade, tratava-se de gente importante do regime. Do lado dos feridos, o mais surpreendente é a determinação. Todos os que conseguem falar garantem que não vão desistir. Diversas pessoas caídas por terra faziam ainda o sinal da vitória com a mão. A tensão é palpável. Na praça Tahrir a violência continua. A cerca de cinquenta metros de distância de nós os apoiantes de Mubarak cantavam os seus slogans. Entre eles e nós havia três cordões de segurança de cidadãos. Passámos uma hora no local e, durante todo esse tempo, os feridos não paravam de chegar, transportados em braços.