Última hora

Última hora

Será esta a "sexta-feira da partida" de Mubarak?

Em leitura:

Será esta a "sexta-feira da partida" de Mubarak?

Tamanho do texto Aa Aa

Os manifestantes anti-Mubarak querem que esta seja a “sexta-feira da partida” do presidente egípcio.
 
Dezenas de milhares de pessoas concentraram-se na Praça Tahrir, naquele que é o 11° dia de protestos, pedindo a demissão de Mubarak.
 
Depois dos confrontos dos últimos dois dias, os manifestantes anti-Mubarak preparam as parcas munições e acusam o outro lado da barricada – os apoiantes de Mubarak – de não lutar com armas iguais. “Estão a usar balas contra pessoas que só têm pedras para atirar. São pessoas sem armas. Do outro lado, outras disparam contra pessoas que não fazem nada, exceto exigirem o respeito dos seus direitos”, queixa-se um manifestante anti-Mubarak.
 
Mesmo durante a noite, os médicos não tiveram mãos a medir. Na quinta-feira, houve mais de 800 feridos. Confrontos que, para o doutor Hossam Al Turki, o governo devia ter impedido: “Não interessa se estes jovens estão certos ou se os outros estão errados. Ambos os lados são egípcios e estão a matar-se uns aos outros. O importante é que são jovens – e a cada minuto que passa há um jovem que é ferido.”
 
O exército cercou a praça com veículos blindados e ergueu barreiras de arame farpado. Os militares estão a deixar entrar manifestantes apenas através de uma pequena abertura.