Última hora

Última hora

Cameron diz que bombista de Lockerbie "devia ter morrido na prisão"

Em leitura:

Cameron diz que bombista de Lockerbie "devia ter morrido na prisão"

Tamanho do texto Aa Aa

Abdelbaset al-Megrahi “devia ter morrido na prisão”. Foi desta forma que o primeiro-ministro britânico, David Cameron, reagiu ao relatório apresentado pelo secretário de Gabinete do governo. Sir Gus O’Donnell concluiu que o anterior executivo trabalhista “fez tudo o possível” para ajudar a Líbia a convencer a Escócia a libertar o homem condenado pelo atentado de Lockerbie em 1988.

Cameron disse que “a decisão do governo britânico de facilitar um apelo líbio ao executivo escocês, no caso de um indivíduo que foi condenado por matar 270 pessoas, foi profundamente errada. E isso é sublinhado pelo facto de, 18 meses mais tarde, o bombista de Lockerbie, continuar a viver em liberdade”.

O líbio foi libertado em Agosto de 2009, depois de lhe ser diagnosticado um cancro da próstata. Segundo os médicos, teria supostamente uma esperança de vida de três meses.

A libertação suscitou viva polémica, sobretudo nos Estados Unidos, de onde era originária a maioria das vítimas do atentado.