Última hora

Em leitura:

O céu escutou o coração dos egípcios no dia da oração


Egipto

O céu escutou o coração dos egípcios no dia da oração

Sexta-feira, dia de oração no mundo muçulmano, o céu parece ter escutados o pedido dos egípcios.

As renúncias do presidente do Egito, Hosni Mubarak, e do vice-presidente, Omar Suleiman, inauguram uma nova etapa política no país.

Com os militares no poder provisoriamente, a expectativa é agora que sejam abertas as negociações com a oposição para o restabelecimento da democracia.

O anúncio da renúncia de Mubarak durou uns breves minutos pela voz do então vice-presidente Omar Souleiman

“Mubarak decidiu renunciar ao cargo de presidente da República – informou Suleiman, acrescentando que Mubarak encarregou o Conselho Superior Militar para administrar “as circunstâncias difíceis que o país está atravesando”.

A junta militar deve reunir oficiais das três Forças Armadas (Exército, Marinha e Aeronáutica).

A primeira medida esperada pela oposição é a suspensão do estado de emergência, que vigora no Egito há quase três décadas. A medida de exceção limita direitos individuais e a liberdade de expressão no país.

De acordo com a Constituição, após o afastamento do presidente, as eleições devem ser convocadas dentro de dois meses.

O ministro da Defesa do Egito, Mohamed Hussein Tantawi, vai chefiar o Conselho Militar que assume o controle do país.

O Exército egípcio emitiu um comunicado para homenagear as vítimas mortais desta revolução e ao mesmo tempo para informar que não vai abolir a autoridade civil e que apenas vai conduzir o país na transição rumo a um regime democrático.

Os militares discutem com a Supremo Tribunal Constitucional a dissolução do gabinete de Mubarak e do Parlamento e a implementação do calendário eleitoral.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

Artigo seguinte

mundo

Reações de euforia no Cairo