Última hora

Última hora

O grito da liberdade

Em leitura:

O grito da liberdade

Tamanho do texto Aa Aa

Carimbaram o passaporte para a liberdade. Um dia depois da queda do regime, milhares de egípcios voltaram à rua, desta vez para festejar.

O país regressa lentamente à normalidade, ainda mal refeito da maior conquista popular de sempre.

Na praça da Libertação ouvem-se, hoje, gritos de alegria:

“Levantem a cabeça somos egípcios” são apenas algumas das palavras que mais se ouvem na praça Tahrir, símbolo da revolta popular.

Este sábado, a internet voltou a servir para fazer um novo apelo à mobilização. O objetivo: limpar a cidade.

O que sobrou de cerca de três semanas de protestos está, ainda, à vista, mas não por muito tempo, tendo em conta a adesão à iniciativa.

A ONU estima que mais de 300 pessoas tenham morrido durante os protestos. Homens e mulheres que mudaram o rosto do país.