Última hora

Última hora

Reações de euforia no Cairo

Em leitura:

Reações de euforia no Cairo

Tamanho do texto Aa Aa

Envolta num ambiente verdadeiramente eufórico, a euronews recolheu a quente as reações populares ao culminar da revolução no Egito.

“É a primeira vez que o povo derruba um tirano. Agora exigimos que seja devolvido o dinheiro que foi roubado ao país. Não precisamos de ninguém que nos rouba e foge do país. Todos aqueles que são corruptos devem ser punidos.”

“Graças a Deus viemos aqui protestar até que ele deixou o cargo. Nenhum discurso nos satisfez e aquele que o substituir deve ter apenas o interesse do povo em mente e não o cargo. O número de mandatos será limitado, depois das emendas à Constituição. Não será como Mubarak, permanentemente no cargo. E queremos uma democracia parlamentar.”

“Os jovens provaram que podem manter uma posição de força e ser ouvidos. Foram bem sucedidos, porque tinham razão. Trabalharam bastante, estavam cansados, mas ficaram na Praça Tahrir, apesar de muitos terem sido mortos.”

“É a melhor coisa que aconteceu aos egípcios nos últimos trinta anos!”

O correspondente da euronews, Mohammed Abdel-Azim, lembra os desafios que enfrenta agora o país:

“Mubarak deixou o cargo, mas muitas questões subsistem sobre a missão do Conselho Militar e a vida política no futuro do Egito. O que irá também acontecer noutros países árabes, vizinhos do Egito? E, especialmente, às relações entre o Egito e Israel? No que diz respeito às políticas internacionais, os Estados Unidos perderam um forte aliado no Médio Oriente, que era descrito como um garante de estabilidade…”