Última hora

Em leitura:

Referendo: Armas permanencem em casa dos suiços


Suíça

Referendo: Armas permanencem em casa dos suiços

A Suíça votou, este domingo, pela permanência de armas de fogo em casa.

A proposta foi colocada em referendo popular numa iniciativa que reuniu 70 entidades.

A ideia era substituir a legislação em vigor que não garante proteção suficiente contra o uso indevido das armas, como defende esta cidadã helvética.

“Nos tempos que correm, não é necessário ter armas em casa. As pessoas já não têm balas em casa. Manter as armas é inútil e pelo contrário pode evitar acidentes”.

Na Suíça, todos os cidadãos ate aos 50 anos estão obrigados a permanecer ativos como membros do exército, durante 21 dias, do ano. No restante período, as armas devem permanecer guardadas em casa.

“Penso que as arma representam a nossa identidade, o nosso sistema democrático, a nossa liberdade. A Suíça existe graças a um sistema militar, graças ao serviço militar prestado, as armas sempre existiram em casa”, explica Xavier Schwytzguebel.

Curiosamente a Suíça é o quarto país do mundo com maior presença de armas de fogo em casa, a seguir aos Estados Unidos, Iémen e Finlândia.

Apesar de não existirem números oficiais, estima-se que haja entre 1,2 a 2 milhões de armas nos lares suíços.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

Artigo seguinte

mundo

Imigrantes tunisinos "invadem" Lampedusa