Última hora

Última hora

Futebol: Fenómeno chora na hora do adeus

Em leitura:

Futebol: Fenómeno chora na hora do adeus

Tamanho do texto Aa Aa

Ronaldo não conteve as lágrimas na hora da despedida. Aos 34 anos o fenómeno disse adeus ao futebol, justificando a sua decisão com os problemas de saúde que há muito o vêm atormentando.
 
Um final inglório para um dos expoentes máximos na história do desporto rei, mas que assumiu graciosamente a derrota: “É muito duro abandonar algo que te fez tão feliz, pelo qual tenho tanto amor e que poderia ainda seguir. Psicologicamente quero muito, mas tenho que assumir algumas derrotas: eu perdi para o meu corpo.”
 
O ponto alto na carreira de Ronaldo aconteceu em dois mil e dois quando liderou o Brasil à vitória no mundial depois de renascer das cinzas. Após as graves lesões contraídas ao serviço do Interde Milão, não faltou quem o desse como acabado para o futebol.
 
O brasileiro fez questão de mostrar que estavam errados e é hoje o jogador com mais golos na história do campeonato do mundo. Quem perde são os adeptos, mas nem todos, como este adepto do Flamengo que pode finalmente suspirar de alívio: “É ótimo! Sou flamenguista graças a Deus e estava já na hora de se reformar. Estava gordo!”
 
Uma opinião que não é partilhada por todos, e há mesmo quem revele o segredo para não sentir saudades do fenómeno: “Vai deixar muitas saudades, mas ele vai estar sempre a aparecer na Comunicação Social e vamos conseguir matar essa saudade.”
 
Para a história ficam os golos que encantaram toda uma geração do primeiro Ronaldo a colocar o planeta do futebol aos seus pés.