Última hora

Última hora

Tunísia: Desembarque de clandestinos em Itália domina visita de Ashton

Em leitura:

Tunísia: Desembarque de clandestinos em Itália domina visita de Ashton

Tamanho do texto Aa Aa

A questão da imigração acabou por impor-se na visita de Catherine Ashton à Tunísia. A deslocação da chefe da diplomacia europeia ocorre em plena polémica entre a Tunísia e Itália sobre o desembarque de clandestinos tunisinos em Lampedusa.

A Tunísia acusa Roma de ingerência, depois de Itália ter proposto o envio de polícias para território tunisino para controlar o fluxo migratório.

Apesar da polémica, Catherine Ashton transmitiu a mensagem que trazia: o apoio europeu ao povo tunisino.

A Tunísia reforçou o controlo nos portos do sul do país, depois de cerca de cinco mil clandestinos terem chegado nos últimos cinco dias à ilha de Lampedusa. O ministro italiano do Interior, Roberto Maroni, fala de “êxodo bíblico”.

O desembarque maciço de tunisinos está a causar polémica também entre Roma e Bruxelas. Itália critica a falta de ajuda europeia, enquanto Michele Cercone, porta-voz da comissária para os Assuntos Internos afirma que Roma rejeitou o apoio: “Perguntamos se a Itália precisava de ajuda para fazer face a estas circunstâncias excecionais. A resposta foi clara: não obrigada, não precisamos da assistência da Comissão Europeia neste momento. Apesar da ausência de pedido por parte da Itália, pedimos à Frontex e ao Gabinete europeu

de Apoio em Matéria de Asilo para ver como é que a Comissão Europeia pode apoiar a Itália nesta situação difícil”.