Última hora

Última hora

A vingança de Ahmadinejad contra a oposição

Em leitura:

A vingança de Ahmadinejad contra a oposição

Tamanho do texto Aa Aa

O regime iraniano ameaça a oposição com represálias, dois dias depois das manifestações antigovernamentias.

A televisão iraniana transmitiu ontem imagens de marchas de manifestantes pró-regime a acusarem Israel e os Estados Unidos de estarem por detrás da vaga de protestos e a pedirem o julgamento dos líderes da oposição.

Ao final do dia, era a vez do presidente Mahmud Ahmadinejad afirmar que, “os inimigos que orquestraram as manifestações antigovernamentais não vão conseguir atingir os seus objetivos. A poeira que levantaram vai virar-se contra eles”, ameaçou.

No parlamento iraniano, os deputados do regime, iam ainda mais longe nas críticas, durante um protesto em que exigiram a pena capital para os líderes da oposição.

Na segunda-feira centenas de milhares de manifestantes tinham saído às ruas, oficialmente, para apoiar as revoltas na Tunísia e no Egito.

Mas a marcha cedo se transformou num novo protesto contra o regime, com as autoridades a reprimirem violentamente os manifestantes.

Dois jovens foram mortos durante os confrontos com as forças da ordem em Teerão.

As autoridades afirmam que um dos jovens era um membro das milícias do governo, acusando a oposição de assassinato.

O porta-voz de Mirhossein Mousavi, em declarações exclusivas à euronews a partir da Suécia, rejeita as acusações:

“Nós consideramos o governo responsável pelas mortes dos dois cidadãos iranianos. O governo não pode culpar os outros daquilo que é responsável. O governo também não pode confiscar os corpos dos mártires do Movimento Verde. Depois de confiscar os votos do povo, agora confisca cadáveres”, concluiu, fazendo referência à revolta que se seguiu à vitória de Ahmadinejad nas presidenciais de Junho de 2009.