Última hora

Última hora

Bahrein: detenção de alegados responsáveis pela morte de manifestantes

Em leitura:

Bahrein: detenção de alegados responsáveis pela morte de manifestantes

Tamanho do texto Aa Aa

Os responsáveis pela morte de dois manifestantes no Bahrein foram detidos e já foi lançado um inquérito sobre os incidentes. O anúncio foi feito pelo ministro do Interior, depois de dois dias de intensos confrontos com as forças policiais durante os protestos contra o governo.

Os manifestantes passaram a noite em tendas na capital do Bahrein, Manama. Acamparam na Praça Pérola que foi rebatizada Praça Tahrir, em referência à revolta popular no Egito.

Numa intervenção televisiva, o rei xeque Hamad bem Issa Al Khalifa lamentou a violência. “À luz dos recentes incidentes, lamentamos com pesar a morte de dois dos nossos queridos filhos e desejamos às famílias as sinceras condolências”, declarou o monarca.

Esta quarta-feira, o principal grupo da oposição, Wefaq, vai começar negociações com o governo. Os manifestantes, que representam a maioria da população xiita contra um poder nas mãos de uma minoria sunita, querem reformas contra a pobreza e o desemprego.

Exigem, também, a demissão do primeiro-ministro, o xeque Khalifa ben Salman al Khalifa, que governa há quatro décadas. Pedem ainda a libertação de presos políticos e a adoção de uma nova Constituição.

Os Estados Unidos mostram-se muito preocupados com a escalada de violência neste pequeno reino do Golfo Pérsico onde está baseada a quinta maior frota marítima americana.

Segundo os analistas, a Arábia Saudita também segue com atenção os protestos, receando um efeito de contágio sobre a comunidade xiita, também minoritária e marginalizada no país.