Última hora

Última hora

UE em guerra contra os medicamentos falsos

Em leitura:

UE em guerra contra os medicamentos falsos

Tamanho do texto Aa Aa

A União Europeia (UE) em luta contra os medicamentos falsificados. O Parlamento Europeu aprovou o texto da portuguesa Marisa Matias, que visa criar um sistema de traçabilidade dos medicamentos ao longo da distribuição e a autenticidade das embalagens.

A lei deverá entrar em vigor já nos próximos meses, mas os países têm até 2016 para a aplicar.

A venda de medicamentos falsos representa 45 mil milhões de euros anuais. Thierry Kestemont, da agência belga do medicamento, mostrou à euronews um deles: “Este refere-se a um medicamento autorizado, o viagra, enquanto este outro não é. Trata-se de um produto que foi produzido para ser equivalente em termos de princípios ativos, é tudo”.

O texto instaura também um certificado europeu para os sítios na internet que vendem medicamentos, já que, segundo as autoridades, esta é a principal porta de entrada dos falsos remédios no mercado europeu.

Segundo o comissário para a Saúde, John Dalli, a União pode “dar o melhor para impedir que as pessoas sejam enganadas, aquelas que pensam estar a pagar bons medicamentos quando na realidade não estão. Mas se alguém quiser arriscar há pouco que se possa fazer para o impedir”.

A sensibilização do público é fundamental.

Segundo as estimativas, os medicamentos falsos representam 1 a 3% das vendas na Europa, mas as apreensões aumentaram 400% desde 2005.