Última hora

Última hora

A revolta contra Kadhafi continua mas a informação chega a conta-gotas

Em leitura:

A revolta contra Kadhafi continua mas a informação chega a conta-gotas

Tamanho do texto Aa Aa

Os opositores que controlam o leste da Líbia querem avançar até Trípoli para acabar com os quase 42 anos de regime ditatorial de Muamar Kadhafi.

Depois de mais de uma semana de insurreição e violência, que terá deixado cerca de mil mortos em todo o país, os insurgentes parecem controlar toda a região leste, da fronteira com o Egito até a cidade de Ajdabiya, mais a oeste.

Tobruk, Derna e Benghazi, o epicentro da rebelião a 1.000 quilômetros de Trípoli, estão sob controle da oposição.

Registaram-se confrontos entre forças pro e contrárias ao regime nas cidades de Sabha, a sul, Sabratha, perto de Tripoli e Al Zawiya a oeste, de onde chegam relatos de extrema violência.

Nas últimas horas os combates em Zawiyah terão feito 23 mortos e perto de 40 feridos. Há notícias de que as milícias pró regime terão invadido os hospitais em várias cidades para matar os feridos que participaram nas manifestaçoes.

Enquanto nas cidades mais a oeste, incluindo a capital Trípoli, ainda são ouvidos tiros, as cidades a leste e Benghazi, estão calmas.

“Graças a Deus vencemos, eles tinham armas mas nós tinhamos pedras, deus ajudou-nos e vencemos, todos os árabes devem fazer alguma coisa para deter este tirano. Onde estão as Nações Unidas?

Algumas unidades militares formaram um comando unificado para apoiar a revolta do povo.

Enquanto nas cidades mais a oeste, incluindo a capital Trípoli, ainda são ouvidos tiros, as cidades a leste e Benghazi, estão calmas, mas os sinais da violência travada para conseguir esta calma ainda são visiveis.