Última hora

Última hora

Milhares fogem do caos e da violência na Líbia

Em leitura:

Milhares fogem do caos e da violência na Líbia

Tamanho do texto Aa Aa

É a fuga precipitada de um país mergulhado na violência. Governos do mundo inteiro tentam resgatar os seus cidadãos da Líbia. É o caso do Egito, que conseguiu o acordo para efetuar 37 voos de repatriamento. Segundo as autoridades do Cairo, um milhão e 500 mil egípcios vivem na Líbia.

É o caso de Abdul Nasser Khafagi que relata uma perseguição implacável contra os egípcios: “Eles abatem qualquer egípcio. Não sei porquê. Os que nos perseguem são soldados do exército líbio. Se nos apanharem, temos de dizer na televisão que somos agentes estrangeiros ou matam-nos”.

A Turquia está a fazer o maior repatriamento da sua história. Cinco mil cidadãos turcos já foram resgatados num total de 25 mil que trabalham na Líbia.

Kenan Nalbantoglu conta que teve uma jornada de 42 horas cheia de aventuras. “Viajámos mil quilómetros para chegar a Trípoli. A polícia e os apoiantes de Kadhafi barraram as estradas. Fomos mandados parar entre 100 a 150 vezes”.

A União Europeia está a preparar o repatriamento de 10 mil cidadãos dos Estados-membros. Cerca de 100 portugueses já foram retirados da Líbia. 56 continuam em Bengasi e devem abandonar o país até sexta-feira.

Na Ásia está a ser preparada uma operação para repatriar 100 mil pessoas, entre elas 60 mil cidadãos do Bangladesh, 30 mil filipinos, 20 mil tailandeses e 18 mil indianos.