Última hora

Última hora

Líbia: europeus repatriados relatam o caos nas ruas de Tripoli

Em leitura:

Líbia: europeus repatriados relatam o caos nas ruas de Tripoli

Tamanho do texto Aa Aa

Vários países europeus prosseguem o repatriamento dos seus cidadãos da Líbia. Um primeiro grupo de 250 sérvios chegou esta noite a Sarajevo, provenientes de Tripoli.

Cerca de 1500 trabalham atualmente nas instalações petrolíferas e mineiras do país, abalado há oito dias por uma violenta revolta, parte dos quais se encontra na zona leste, perto de Bengazi cujo aeroporto se encontra encerrado.

“Eu penso que estão a mentir relativamente ao número de mortos, não foram 1000 mas mais de 5000. Só num bombardeamento durante a noite mais de 590 pessoas foram mortas”, relata um sérvio.

A Grécia também continua a repatriar, por ar e por mar, os seus cidadãos. Dois Hercules C130 da força aérea grega aterraram esta noite em Atenas com um primeiro grupo dos 200 gregos que deverão ser deslocados por via aérea.

“Eu assisti a vários tiroteios e pelo menos quatro execuções a sangue frio mesmo à minha frente em Tripoli”.

“Era praticamente impossível chegar ao aeroporto, é necessário pôr em prática uma missão de evacuação. Há pessoas armadas com bastões e mesmo paus de vassora, polícias ou mercenários que tentam atacar qualquer pessoa que se aproxime do aeroporto. Impossível de falar com esta gente”.

A União Europeia deverá discutir hoje a possibilidade de lançar uma operação humanitária em larga escala para repatriar os cerca de 6 mil cidadãos europeus que se encontram atualmente em várias regiões da Líbia.