Última hora

Em leitura:

Mais de cem mil pessoas escaparam da Líbia na última semana


Líbia

Mais de cem mil pessoas escaparam da Líbia na última semana

A violência na Líbia obrigou mais de cem mil pessoas a deixar o país, a grande maioria em peregrinações rumo à vizinha Tunísia e ao Egito.

Muitos refugiados tiveram de rumar na direção contrária ao destino final e estão agora alojados em acampamentos temporários.

O alívio à saída da Líbia começa a transformar-se em frustração, como se percebe pelas reações no terreno.

“Todas as pessoas aqui estão a manifestar-se porque querem voltar ao Egito. Os países estão a enviar aviões para resgatar os cidadãos: Turquia, Coreia, Índia, Bangladesh. Há pessoas a sair e a chegar, exceto os egípcios. Está aqui uma multidão e o Egito não enviou o que quer que fosse. Não há maneira mais rápida de tirar os egípcios daqui. As pessoas estão a morrer de frio, a dormir nas ruas”, diz Hamada, um refugiado egípcio.

Nos acampamentos instalados perto do posto fronteiriço de Ras Ajdir, na Tunísia, os refugiados formam longas filas para se registarem, antes de serem transportados de volta para os próprios países.

As condições estão longe de serem as ideais, motivo pelo qual a Agência da ONU para os Refugiados apelou a uma resposta célere da comunidade internacional nos apoios para a população.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

Artigo seguinte

mundo

Primeiro-ministro da Tunísia demite-se