Última hora

Última hora

Nações Unidas pressionam Kadafi

Em leitura:

Nações Unidas pressionam Kadafi

Tamanho do texto Aa Aa

Em nome da estabilidade na Líbia, o Conselho de Segurança das Nações Unidas aprovou, por unanimidade, uma resolução que define sanções ao regime de Muammar Kadafi.

O documento prevê um embargo sobre as armas e recurso ao Tribunal Penal Internacional para condenar os responsáveis por violações de direitos humanos.

Kadafi fica igualmente interdito de viajar para os Estados membros da ONU juntamente com a família. Além disso, o coronel vê congelados os bens financeiros. Medidas que se estendem a elementos do regime.

A emoção tomou conta da delegação líbia nas Nações Unidas, uma vez reunido, este sábado, o apoio dos 15 Estados membros.

“O regime de Tripoli já não tem qualquer credibilidade. É evidente que esta resolução representa o apoio moral para o nosso povo que está a resistir”, disse Ibrahim Dabbashi, embaixador-adjunto da Líbia na ONU.

Um apoio reforçado pelo secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon: “O documento deixa a mensagem de que a violação massiva dos direitos humanos não será tolerada e que os responsáveis pelos crimes serão responsabilizados”.

Nas ruas de Benghazi, cidade do leste da Líbia tomada pelos opositores ao regime depois de dias intensos de confrontos, a notícia foi recebida com algum ceticismo.

“Esta é a decisão do povo, a decisão da nossa república e a decisão do Conselho de Segurança. Por isso tem o nosso apoio”, disse Sami Mnena.

“A revolução é popular. Não queremos interferência externa. Barack Obama só está a tratar dos seus interesses e da Europa. Nós estamos apenas a tratar do interesse nacional que é fazer cair Muammar Kadafi”, acrescentou Mohammed Moftah Ismael.

Aconteça o que acontecer, o Conselho de Segurança das Nações Unidas alertou que nos próximos dias poderão vir a ser adotadas medidas ainda mais restritivas.