Última hora

Última hora

Benghasi e Brega: entre medos e vitórias

Em leitura:

Benghasi e Brega: entre medos e vitórias

Tamanho do texto Aa Aa

Esta manhã, enquanto Bengasi enterrava as últimas vítimas da revolta da semana, em plena emoção e oração, ouviu-se o rumor de um ataque à cidade de Brega, que fica a 200 km de distância.

As armas de defesa anti-aérea, deixadas pelos militares vencidos, são posicionadas da costa e mostram que os revolucionários estão a postos para abater os aviões de Khadafi.

Pouco depois, caiu a informação do aumento de intensidade dos combates em Brega. Os revolucionários teriam repelido as forças de Khadafi. Reunidos na praça principal, os homens souberam rapidamente o que se passava.

“Defendemos a cidade com as armas e obrigámo-los a partir, e eles desapareceram”.

“O moral é bom depois das informações de que Brega tinha voltado para o controlo dos revolucionários e com a confirmação do conselho militar de que eram capazes de deter qualquer ataque contra a região leste.”

Nova vitória para a revolução e para os homens de Benghazi, mais determinados do que nunca a ajudar os irmãos de Brega.

“Não podiam entrar na região. E temos homens que vão desafiar o ditador independentemente do que ele faça, afirma um dos presentes.”

Claro que estamos prontos…

A determinação não se fica por aqui. Os percursores de Benghasi querem ajudar is insurgentes de toda a Líbia. Enquanto uns vigiam a costa outros apresentam-se no centro de recrutamento. .

“Estamos aqui para ser treinados pelos oficiais do exército da parte de Tripoli livre e dos subúrbios”.

Provocar a queda de Kadhafi é menos simples…