Última hora

Última hora

John Galliano expulso da Casa Dior

Em leitura:

John Galliano expulso da Casa Dior

Tamanho do texto Aa Aa

“Eu amo Hitler” a frase assassina que levou o estilista, John Galliano, ao despedimento da Casa Dior.

Director criativo da marca desde 1996, foium vídeo que chegou à internet na segunda-feira que lançou o escândalo, reforçado por duas queixas por agressões racistas.

Os acontecimentos passaram-se no bairro parisiense Le Marais, onde fica o café Perle do qual Galliano é habitué, é frequentado pela comunidade judaica e homossexual.

A Dior mantém o seu desfile na sexta-feira na Semana da Moda Prêt-à-Porter de Paris e o desfile de Galliano, que tem a sua marca própria, está marcado para domingo, mas nos corredores comenta-se: “Foi um momento infeliz, é muito triste que estas coisas aconteçam, as pessoas cometem erros, não penso que devemos diabolizá-lo, talvez ajudá-lo e preocupar-se com ele”.

“É muito triste o que se passou, mesmo que tenha dificuldade em entender, o que ele disse no vídeo é terrivel, mas penso que não devemos esquecer o que fez pela moda, ele é um génio e levou a Dior a um nível maravilhoso, gaças à sua criatividade”

Natalie Portman, que fez recentemente, a campanha publicitária do perfume “Miss Chérie” da Dior, foi das primeira a reagir aos comentários insultuosos declarando-se chocada.

Os excessos do estilista podem ser a sua ruína mesmo que a Dior lhe deva o renascimento da Casa, à beira da falência quando Galliano foi contratado.

Em termos penais, o estilista pode enfrentar uma pena até seis meses de prisão.