Última hora

Última hora

UE: "Kadhafi tem de partir"

Em leitura:

UE: "Kadhafi tem de partir"

Tamanho do texto Aa Aa

A União Europeia pede a saída de Muammar Kadhafi. É a primeira vez que os Vinte e Sete o fazem de forma explícita e em conjunto, face à degradação e à violência no terreno.

O presidente da Comissão Europeia recusou pronunciar-se sobre a zona de exclusão aérea, deixando o assunto aos governos europeus, mas Durão Barroso afirma que têm de “fazer o possível para que o atual regime deixe o país, para que ponha fim às intervenções contra o povo líbio”.

Bruxelas está preocupada também com a situação humanitária. A Comissão aumentou de três para dez milhões de euros a ajuda de emergência e envia Kristalina Georgieva ao terreno para determinar as necessidades.

Mesmo antes de partir, a comissária europeia para a Ajuda Humanitária explicou que “na área de Bengasi as equipas já estão no terreno e dizem ser necessária assistência médica. Porque o sistema líbio depende fortemente de estrangeiros e eles partiram, deixando para trás um grande vazio que tem de ser preenchido”.

Atualmente, segundo o Alto Comissariado da ONU para os Refugiados, 40 mil pessoas encontram-se na fronteira líbia à espera de fugir para a Tunísia.