Última hora

Última hora

Líbia: fronteira tunisina continua a acumular refugiados

Em leitura:

Líbia: fronteira tunisina continua a acumular refugiados

Tamanho do texto Aa Aa

Na passagem fronteiriça de Ras Jdir, entre a Líbia e a Tunísia, o quotidiano é particularmente duro para milhares de refugiados que continuam sem solução para chegar ao almejado destino.

Muitos passaram já várias noites ao relento, enquanto esperam ser transferidos para um campo de refugiados a curta distância, que abriga já mais de 12 mil pessoas.

Se os egípcios já começaram a ser encaminhados para o Cairo, os refugiados originários do Bangladesh queixam-se do silêncio do respetivo governo.

Um homem diz que “apenas querem regressar” ao seu país. Desesperado, pede ajuda.

Outro explica que ontem estavam “sentados num espaço aberto, com muito pó, mas o principal problema é que não receberam qualquer informação”.

Enquanto estes refugiados esperam por uma solução, muitos outros continuam a chegar. Alimentos básicos oferecem um conforto rudimentar aos que atravessam a fronteira, mas as ajudas podem rapidamente tornar-se insuficientes para a massa humana acumulada.

Jamel Ezzedini, euronews: “O grupo de refugiados que aqui vemos foi o último a atravessar a fronteira tunisina na noite passada. A maioria são originários das Filipinas, do Vietname e do Gana. Os mais de 20 mil refugiados acumulados em Ras Jdir não têm outra preocupação que a espera por um avião ou navio que os conduza aos países de origem. Muitos passaram mais de uma semana a dormir por terra, resistindo dificilmente ao frio do deserto”.