Última hora

Última hora

Afeganistão: Karzai pede à NATO para parar de matar civis

Em leitura:

Afeganistão: Karzai pede à NATO para parar de matar civis

Tamanho do texto Aa Aa

O Afeganistão unido num apelo à NATO. Juntando-se às vozes de centenas de manifestantes em Cabul, o presidente Hamid Karzai pediu às forças estrangeiras para pararem de matar civis e sublinhou que as desculpas não chegam.

Em causa, o recente ataque aéreo da NATO que matou nove crianças que estavam a recolher lenha na província de Kunar, no leste do país.

Uma estudante diz que as forças americanas estão a matar gente inocente e depois limitam-se a pedir desculpas. “Não queremos desculpas, queremos justiça no nosso país”, lança.

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama transmitiu a Karzai, na quinta-feira, a “profunda consternação” pela morte das crianças. A força da NATO no país, pela voz do general David Rodriguez, reconheceu um “erro terrível” e pediu desculpas. As nove crianças foram mortas por engano por um helicóptero chamado em reforço depois de os rebeldes terem atacado uma base militar norte-americana.

Os civis são as primeiras vítimas do conflito afegão. Só no ano passado morreram, pelo menos, 2400. A ONG Afghan Rights Monitor estima que 500 pessoas foram vítimas de operações militares das forças internacionais.

Este domingo morreram mais doze civis, incluindo cinco menores, quando uma bomba explodiu à passagem do carro em que viajavam. As autoridades afegãs atribuem a ação aos talibãs.