Última hora

Última hora

Campo de Choucha prepara-se para chegada de mais refugiados

Em leitura:

Campo de Choucha prepara-se para chegada de mais refugiados

Tamanho do texto Aa Aa

São cerca de 1800 tendas para mais de dezasseis mil refugiados. O campo tunisino de Choucha fica a escassos quilómetros de Ras Jedir, na fronteira com a Líbia.

Os que aqui encontraram refúgio temporário também têm de se habituar a um novo ritmo de vida, marcado pelas filas para comer, tomar banho ou usar os sanitários.

Mas há melhorias, indica um responsável do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR), Ayman Gharaibeh. “As condições no campo estão a melhorar desde o primeiro dia”, indica. “Estamos a tentar melhorar sobretudo no plano da água e da higiene. Como se vê, estamos a colocar instalações para armazenamento, a tentar reorganizar a distribuição das tendas e a recolher o lixo.”

Várias associações caritativas responderam presente na hora de ajudar. O exército tunisino, auxiliado pelo Crescente Vermelho, assegura o acompanhamento médico dos refugiados.

“Posso confirmar que não há nenhum problema sério de saúde, epidemias ou cóleras. A situação está controlada”, assegura o médico Fethi Bayoudh.

A higiene é a preocupação número um. Todos os dias é preciso limpar o campo e vários tratores transformam-se em camiões do lixo. Os refugiados devem contentar-se com os banhos ao ar livre, enquanto aguardam uma eventual ajuda para regressar a casa.

No terreno, o enviado especial da euronews, Jamel Ezzedini, constata: “Todas as organizações com que falámos no campo de refugiados de Choucha dizem que a situação está sob controlo, apesar do trabalho que ainda falta fazer em matéria de higiene. Isto deve-se aos esforços de todos os que participam. As organizações agradecem a solidariedade dos tunisinos. No entanto, há receios de que estas pessoas não sejam repatriadas nos próximos dias, ao mesmo tempo que continuam a chegar novos refugiados.”