Última hora

Última hora

Líbia: governos vizinhos e associações humanitárias preparam-se para enormes vagas de migrantes

Em leitura:

Líbia: governos vizinhos e associações humanitárias preparam-se para enormes vagas de migrantes

Tamanho do texto Aa Aa

A situação tende a estabilizar no posto fronteiriço de Ras Jedir. O número dos que chegam da Líbia está a baixar drasticamente. Por agora são cerca de 1500 os que passam a fronteira todos os dias.

Mas este facto não tranquiliza ninguém. Se o conflito degenerar, dois milhões de pessoas poderão tentar fugir do país.

“Temos que estar preparados para a possibilidade de grandes vagas de migrantes atravessarem a fronteira e para uma migração mista”, afirma o responsável pela Organização Internacional das Migrações.

Também o governo tunisino se prepara para esta eventualidade. O ministro dos Assuntos Sociais garante que todos trabalham nesse sentido e que todas as medidas estão a ser tomadas para enfrentar possíveis vagas massivas de refugiados, com a ajuda das organizações e associações civis.

Uma delegação dos Emirados Árabes Unidos está a instalar um campo com 700 tendas, com capacidade para acolher sete mil pessoas e enormes reservas de ajuda alimentar e medicamentos estão a ser encaminhados para este local, a cinco quilómetros de Ras Jedir.

O testemunho do nosso enviado, Jamel Ezzedini

Centenas de refugiados foram já repatriados para o Bangladesh nos últimos quatro dias. Outros esperam ainda a sua vez de partir para a terra natal.

O governo tunisino, em colaboração com as associações e organizações tunisinas e mundiais e também com a ajuda árabe está a preparar condições para melhor acolher uma possível vaga de refugiados. A questão que se coloca agora é se esse esforço será suficiente. Por enquanto tudo resta em suspenso à espera de ver como vão decorrer as coisas do outro lado da fronteira.