Última hora

Última hora

Testemunha conta o que viu e sentiu em Tóquio

Em leitura:

Testemunha conta o que viu e sentiu em Tóquio

Tamanho do texto Aa Aa

Eric Delattre é diretor informático em Tóquio. Vive no Japão há 18 meses e estava no seu escritório no momento do sismo. Uma testemunha que nos conta o que viveu e a reação dos que o rodeavam. “Há uma tomada de consciência no momento em que aumenta de intensidade… Perguntamo-nos a nós próprios o que se passa?, há algo de importante a acontecer e esperamos que tudo termine bem”. Todos temos uma pequena mala no escritório, um pequeno saco, um capacete e um pouco de comida desidratada. Uma cobertura de sobrevivência. Nós pusemos o capacete e agrupámo-nos. Não houve efeito de pânico, mesmo com muitas pessoas nas ruas. Não houve “stress”, todos estiveram muito calmos. O alerta de Tsunami foi quase imediato e com uma eficácia incrível. Logo depois da primeira sacudidela muito forte e momentos antes de evacuarem o edifício, olhei rapidamente para o sítio de organismo japonês na internet e já lá estava o o alerta de Tsunami. Tenho colegas que me disseram que foi o mais forte sismo que alguma vez sentiram em Tóquio. No fim a vida acaba por retomar o seu curso. Há pessoas nas ruas, as pessoas conversam, dialogam, tudo está muito calmo. Não há um grande nível de inquietação geral”, diz.