Última hora

Última hora

Sismo e tsunami provocam centenas de mortos

Em leitura:

Sismo e tsunami provocam centenas de mortos

Tamanho do texto Aa Aa

A polícia fala já em quase 300 mortos e cerca de 350 desaparecidos. O maior sismo de sempre no Japão, com uma magnitude de 8,9 na escala de Richter, provocou vagas gigantes ao longo das zonas costeiras no nordeste do país. Uma muralha de água fustigou a província de Miyagi, a zona mais afetada.
 
As forças policiais anunciaram a descoberta de 200 a 300 corpos numa praia em Sendai, a principal cidade desta província. Até agora, as autoridades apontavam para cerca de 60 vítimas no nordeste do país. Há dezenas de desaparecidos.
 
Um comboio que terá sido levado pela vaga de dez metros quando circulava entre as cidades de Sendai e Ishinomaki. Em Sendai, onde vive um milhão de pessoas. Segundo as autoridades, 1200 casas terão ficado cobertas pelas águas. 
 
Na cidade portuária de Ofunato, há cerca de 40 desaparecidos, nomeadamente 20 estudantes de um colégio. A cidade de Fukushima também foi atingida por ondas de sete metros.
  
O epicentro do sismo localizou-se no Oceano  Pacífico, a 130 quilómetros a leste de Sendai, ao largo da ilha de Honshu, e a 370 quilómetros de Tóquio, desencadeando alertas de tsunami em toda a bacia do Pacífico, com excepção dos Estados Unidos e do Canadá. Filipinas, Indonésia, Austrália, Nova Zelândia, México ou Colômbia são alguns dos países que ficaram em estado de alerta.
  
O perigo parece já ter passado nas ilhas Curilas, na Rússia, assim como na ilha Formosa e na Indonésia. 
 
Regressando ao Japão, todos os portos foram encerrados, depois de nem os barcos terem escapado à fúria das águas.
 
Um navio com uma centena de pessoas a bordo  foi arrastado pelo tsunami, de acordo com a polícia de Miyagi.
 
O primeiro-ministro japonês Naoto Kan falou em “danos consideráveis“ e anunciou o envio de militares, helicópteros e navios para a província de Miyagi.
 
O Japão está em cima de quatro placas tectónicas e sofre anualmente vinte por cento dos sismos mais fortes registados no mundo. Há apenas dois dias, o Japão foi abalado por um outro sismo de magnitude 7,3 na escala de Richter, mas não causou estragos significativos.