Última hora

Última hora

Japão: a busca de sobreviventes no terreno e "online"

Em leitura:

Japão: a busca de sobreviventes no terreno e "online"

Tamanho do texto Aa Aa

Os pedidos de ajuda acumulam-se e as operações de resgate para encontrar eventuais sobreviventes são uma luta contra o tempo.

O tsunami deixou um rasto de morte em várias cidades costeiras do nordeste do Japão, como Rikuzentakata, onde o exército descobriu entre 300 a 400 cadáveres.

Sendai é outra das terras altamente fustigadas pelo mar. Duas sobreviventes contam que tentaram fugir de carro mas foram apanhadas pelas ondas e arrastadas.

Milhares de soldados japoneses foram mobilizados para o nordeste do país e vão contar com a ajuda estrangeira.

Os residentes da calma cidade de Oarai, conhecida pelas praias e pela marina, recordam o pesadelo que viveram. “A água subiu de repente e entrou por terra dentro, varrendo tudo. Depois recuou”, conta um habitante.

“As coisas de casa estavam espalhadas pelo chão e a máquina de lavar veio parar aqui”, conta outra residente.

Mais de 215 mil pessoas passaram a noite em abrigos no norte e leste do país. As listas de desaparecidos e de vítimas mortais acumulam-se. Mas a busca de sobreviventes também já se faz “online”. Além das redes sociais, a Cruz Vermelha Internacional ou o motor de busca Google abriram sites para ajudar os sobreviventes a procurar os familiares.