Última hora

Última hora

Japão pediu ajuda à Agência Internacional de Energia Atómica

Em leitura:

Japão pediu ajuda à Agência Internacional de Energia Atómica

Tamanho do texto Aa Aa

As operações para injetar água do mar no reator número 2 da central nuclear de Fukoshima-Daiichi, foram retomadas às primeiras horas locais desta terça-feira.

Trata-se de uma nova tentativa de arrefecer as barras de combustível nuclear que voltaram a ficar totalmente expostas fora da água que as arrefecem para evitar o perigo de fusão.

“As condutas nucleares foram abaladas, inundadas, desligadas com consequências trágicas para operadores. Os reatores afetados desligaram automaticamente, pelo que deixou de existir o perigo de uma reação em cadeia de material nuclear. Um dos grandes objetivos desta reunião é coordenar a ajuda a estado membro. O Japão pediu ajuda e uma missão de peritos a esta agência”, anunciou o diretor da AIEA

Yukiya Amano, o diretor da Agência Internacional de Energia Atómica, falou após uma reunião á porta fechada da Agência em Viena, para discutir o pedido do Japão e a situação das centrais nucleares japonesas afetadas pelo terramoto e pelo tsunami.