Última hora

Última hora

O espetro de Fukushima

Em leitura:

O espetro de Fukushima

Tamanho do texto Aa Aa

Os níveis de radiação aumentaram esta terça-feira em várias cidades japonesas, incluindo Tóquio.
 
Muitas pessoas aprovisionam água engarrafada, máscaras e víveres, preparando-se para ficar em casa.
 
O diretor da Agência Internacional de Energia Atómica ao fazer o ponto da situação na central nuclear de Fukushima após a explosão ocorrida na última madrugada referiu que se teme a existência de danos no núcleo do reator 2 da central.
 
Os sistemas de refrigeração de três dos seis reatores de Fukushima 1 estão avariados.
 
O governo japonês admitiu que os acidentes em Fukushima podem provocar fugas radioativas que podem afetar a saúde e recomendou a quem vive num raio de 30 quilómetros à volta da central que fique em casa, desligue os sistemas de ventilação e feche as janelas.
 
Em zonas próximas da central já foram registadas radiações cem vezes mais fortes do que o normal.
 
Em Tóquio, situada a 270 quilómetros da central, também se registaram níveis mais altos do que habitual, mas as autoridades metropolitanas afirmaram que não existe perigo para a saúde.