Última hora

Última hora

Japão: a luta pela sobrevivência

Em leitura:

Japão: a luta pela sobrevivência

Tamanho do texto Aa Aa

Enquanto a comunidade internacional tem os olhos postos em Fukushima e no risco que vem da central nuclear, nas províncias do norte do Japão, os sobreviventes do sismo e do tsunami vivem em condições muito difíceis, com a neve e as baixas temperaturas.

Cerca de 500 mil pessoas ficaram desalojadas. Foram improvisados cerca de 2.300 abrigos, mas falta aquecimento, cobertores e comida.

Seis dias depois da tragédia, equipas de socorro vindas de vários países tentam ainda encontrar sobreviventes, ainda que todos saibam que nestas circunstâncias é muito difícil:

“Há sempre uma pequena percentagem de esperança. Procuramos sempre o lado positivo, até que nos digam para parar. Quem sabe?”

- “Vão continuar as buscas?”

- “Vamos!”

Será muito difícil encontrar gente com vida, mas as equipas retiram constantemente corpos dos escombros. O balanço das vítimas não pára de aumentar. Está confirmada a morte de mais de cinco mil pessoas e cerca de nove mil estão ainda desaparecidas.

Em Kamaishi o ginásio foi transformado em morgue. Muitos destes cadáveres estão ainda por identificar.