Última hora

Última hora

Escalada de violência entre israelitas e palestinianos

Em leitura:

Escalada de violência entre israelitas e palestinianos

Tamanho do texto Aa Aa

É a maior escalada de violência entre israelitas e palestinianos desde a guerra na Faixa de Gaza há dois anos. Ainda esta manhã, o movimento radical palestiniano Jihad Islâmica reivindicou os ataques com granadas de morteiro contra localidades no interior de Israel.

O coronel israelita Eitan Yitzhak confirma que se assiste “a uma escalada de violência” e que “os disparos são mais uma tentativa de desestabilizar a rotina diária no Estado de Israel”.

Os ataques desta manhã foram a resposta aos raides aéreos israelitas sobre a Faixa de Gaza, na terça-feira. A ofensiva resultou na morte de oito palestinianos,

quatro combatentes da Jihad Islâmica e quatro civis.

O anúncio feito pelo primeiro-ministro israelita, a 13 de março, exacerbou ainda mais os ânimos. Benjamin Netanyahu deu luz verde para novas construções – 500 segundo os jornais israelitas – nos colonatos da Cisjordânia. A decisão surgiu horas depois do assassinato de uma família de colonos, em Itamar, perto de Nablus.

A divisão política entre as duas fações palestinianas é vista como outro entrave para a paz na região. A 16 de março, o presidente da Autoridade Palestiniana, Mahmoud Abbas, disse estar disposto a fazer a primeira visita – em quase quatro anos – à Faixa de Gaza para acabar com as divisões entre a Fatah e o Hamas que controla o território.

O anúncio surgiu na sequência da mega manifestação pela reconciliação palestiniana, em Gaza. O protesto foi dispersado pelas forças do Hamas.