Última hora

Última hora

Baixas civis em Tripoli levantam dúvidas

Em leitura:

Baixas civis em Tripoli levantam dúvidas

Tamanho do texto Aa Aa

O governo líbio organizou um funeral coletivo em Tripoli do que garantiu terem sido vítimas civis dos bombardeamentos da coligação, mas há quem fale em propaganda.

No cemitério de Shat Hansheer foram realizadas cerimónias fúnebres com 33 caixões mas apenas 13 corpos foram enterrados. Foi explicado pelas autoridades que as restantes vítimas foram a enterrar noutros cemitérios a pedido dos familiares.

Um cidadão referiu que “a base bombardeada estava vazia e que só havia civis nas imediações, não estava nenhum militar”.

Mas de acordo com testemunhas citados pelo “Wall Street Journal”, os corpos eram de milicianos que guardavam instalações militares em Tripoli e também de combatentes mortos em Misrata.

O vice-ministro dos Negócios Estrangeiros líbio, Khaled Kaim, dá a sua versão.

“O bombardeamento não poupou ninguém em Tajura, visou o hospital de doenças cardiovasculares, o centro de vigilância aérea civil e a academia militar onde estavam estudantes caloiros.”

Sem ser possível verificar a autenticidade dos relatos, uma coisa é certa: o sangue continua a ser derramado na Líbia.