Última hora

Última hora

Escalada de repressão na Síria

Em leitura:

Escalada de repressão na Síria

Tamanho do texto Aa Aa

Milhares de pessoas foram detidas na cidade síria de Deraa, quando participavam em mais uma manifestação, anti-regime, disse o enviado da agência Reuters, presente no local.

Mais a sul, há registo de 15 mortos, consequência dos confrontos entre manifestantes e a polícia.

Mas a oposição ainda espera um sinal do governo, mostrando que tem vontade de se abrir, de se reformar, como pretende Haytham el Maleh, porta-voz das organizações de defesa dos direitos humanos:

“A Síria está à beira de uma explosão, a situação está a tornar-se numa bola de neve que vai engrossar nos próximos dias. O governo é a chave da solução. Mas, aparentemente, o regime não tem visão de longo prazo. Há detenções em várias cidades. Em todo o caso, os próximos dias, provarão se este regime poderá reformar-se”.

E a primeira reforma exigida ao presidente, Bashar el Assad, é o levantamento do estado de emergência, em vigor há quase 50 anos.

Esta manhã, em Deraa foram sepultadas as 44 vítimas da repressão policial. Os funerais transformaram-se em mais uma manifestação.

Ao mesmo tempo, em Damasco, a capital, concentravam-se cerca de 200 pessoas, em apoio dos protestos de Deraa.

Os serviços secretos prenderam ainda três pessoas, para interrogatório.

Houve também manifestações de apoio ao presidente Bashar el Assad que, há 11 anos, sucedeu ao pai, Hafez el Assad.