Última hora

Em leitura:

Revolta popular no Iémen


Iémen

Revolta popular no Iémen

Os soldados iemenitas dispararam para o ar, esta sexta-feira, para evitar que uma multidão de apoiantes do Presidente Ali Abdullah Saleh chegasse a um protesto anti-governo,
onde estavasm dezenas de milhares de pessoas.
 
Ali Abdallah Saleh, de 69 anos, avisou que pretende promover a transição democrática do poder, mas não informou quando isso deve ocorrer.
 
Ao mesmo tempo, criticou a oposição e os militares que desertaram. Segundo o presidente, “mesmo que haja acordo com os líderes da oposição, a situação será pior do que agora”.
 
Na última quarta-feira, o parlamento do Iémen aprovou a declaração do estado de emergência durante 30 dias no país.

A medida, que foi proclamada em 18 de março pelo chefe de Estado, suspende a constituição, permite a censura dos meios de comunicação e proíbe manifestações de rua.

Um protestante afirma, “nós pedimos ao presidente para sair e desistir da sua autoridade,de forma a evitar sangue, porque as pessoas continuarão a revolta até que o regime caia.”

O presidente já tinha expressado na passada sexta-feira que estava disposto a ceder o poder para o que considera “mãos seguras”.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

Artigo seguinte

mundo

Rebeldes líbios aproveitam coligação para avançarem