Última hora

Última hora

Fukushima: o pesadelo interminável

Em leitura:

Fukushima: o pesadelo interminável

Tamanho do texto Aa Aa

Na central de Fukushima Daichi, o pesadelo não tem fim à vista.

As operações foram uma vez mais suspensas no reator número dois, onde os níveis de radiotatividade são cem mil vezes superiores ao normal.

O porta-voz do governo afirmou esta manhã que a radioatividade medida na água deste reator se deve à fusão dos cartuchos do combustível e provém da condensação e não de uma fissura na estrutura.

O mundo inteiro manifesta uma profunda admiração pelos mais de 400 técnicos e engenheiros que tentam evitar o pior.

Em Tóquio, os japoneses impacientam-se e realizaram este domingo a maior manifestação contra o nuclear desde o início da crise.