Última hora

Última hora

Japoneses querem recuperar as suas vidas

Em leitura:

Japoneses querem recuperar as suas vidas

Tamanho do texto Aa Aa

Numa das regiões mais afectadas pelo Tsunami, Yamada, e os destroços não deixam margem para qualquer dúvida.

Aqui vive uma comunidade piscatória que agora se vê sem meios para trabalhar, logo, sem recursos financeiros para começar a reconstrução da paisagem, das casas e de barcos.

Mas há um esforço evidente, para retomar uma vida tão normal, quanto possível.

A euronews falou com um dos pescadores mais afetados.

EN – Para onde foi evacuado? O que aconteceu, quando percebeu que estava perante um potencial tsunami? Para onde foi e como se sentiu?

- Eu escapei, escalando a montanha.

Há um caminho que vai até uma igreja e a um cemitério. Foi isso que fiz, escalei esse caminho mas foi muito difícil, muito pesado. Como a batida das ondas era muito grande, pensei: o que vai ser de mim, o que é que eu vou fazer? O tsunami era enorme, era gigante.

EN- Como pensa que esta comunidade foi afectada?

– Isto é uma comunidade piscatória. É a principal indústria daqui. Sem pesca, a vida vai ficar muito difícil. Vamos passar muito tempo a construir tudo, outra vez. Nos próximos três ou quatro ano, não vamos poder fazer a nossa vida aqui.

EN – O que pensa da relação das comunidades com o mar, vai mudar depois do tsunami? Antes, o mar dava comida e trabalho, agora fica mais afastado…

- Vamos voltar à vida que depende do mar, com um espírito forte. Não nos deixaremos abater. Vamos recuperar.

Pode estar aqui o segredo do sucesso japonês. Um espírito forte, vontade de reconstruir tudo, para depois voltar ao trabalho.