Última hora

Última hora

Costa do Marfim volta a ser um país em guerra

Em leitura:

Costa do Marfim volta a ser um país em guerra

Tamanho do texto Aa Aa

Os combates estendem-se por quase todo o país, na Costa do Marfim.

Os apoiantes de Alassane Ouattara abriram duas novas frentes: no Leste, atacaram a cidades de Laodiba, a cinco quilómetros de Bondoukou, próxima da fronteira com o Ghana e avançaram para sul para Daloa, no coração da região do cacau; a Ocidente dizem ter tomado o controlo de Duékoué, uma cidade que estava nas mãos dos apoiantes de Laurent Gbagbo desde 2003.

Nas últimas semanas, os combatentes pró-Ouattara – o presidente eleito em Novembro de 2010 – tomaram quatro cidades e dirigem-se para o porto de San Pedro, um ponto estratégico de onde é exportada cerca de metade da produção nacional de cacau.

Na capital, Abidjan, prosseguem os confrontos. As mílicias de Ouattara tentam expulsar do centro da cidade os combatentes de Gbagbo.

A Costa do Marfim voltou a mergulhar no impasse político e na guerra no final do mês de Novembro, quando Laurent Gbagbo se recusou a aceitar o resultado da eleição presidencial que deu a vitória a Alassane Ouattara. Ouattara é reconhecido pela comunidade internacional como o presidente eleito da Costa do Marfim.