Última hora

Última hora

Obama admitiu poder fornecer armas à oposição líbia

Em leitura:

Obama admitiu poder fornecer armas à oposição líbia

Tamanho do texto Aa Aa

Durante uma entrevista, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, admitiu poder fornecer armas à oposição líbia, mas realçou que ainda está em curso uma avaliação da relação de forças no conflito.

“Acho que é justo dizer que se quisermos fazer chegar armas à Líbia, provavelmente podê-lo-emos fazer.

Neste momento, estamos a ponderar todas as opções, mas, tendo em mente o que se fez até agora.

Foi criada uma zona de exclusão aérea que pode ser mantida durante bastante tempo, dado que se trata de um esforço internacional”, referiu o presidente norte-americano.

Na conferência internacional sobre a Líbia que reuniu em Londres representantes de 40 países foi decidido constituir oficialmente um “grupo de contacto” político.

O secretário-geral da aliança atlântica tem uma opinião diferente da de Obama:

“A Nato decidiu participar no reforço da aplicação do embargo de armas. Estamos lá para defender as pessoas. Não, para lhes fazer mal”.

O comando do conjunto da ação militar internacional na Líbia, até agora liderado pelos Estados Unidos, foi transferido para a NATO.

A próxima reunião do “grupo de contacto” ficou agendada para o Qatar, o único país árabe,

juntamente com os Emirados Árabes Unidos, envolvido nas operações militares.