Última hora

Última hora

Fukushima: Cidade fantasma

Em leitura:

Fukushima: Cidade fantasma

Tamanho do texto Aa Aa

Situada a 65 quilómetros da central nuclear acidentada, a cidade de Fukushima, é uma cidade fantasma.

Os comboios continuam parados nas estações. Os transportes públicos estão reduzidos praticamente aos autocarros, há falta de combustível e cortes de eletricidade

Com medo das radiações ninguém sai de casa.

Muitas lojas estão fechadas e à noite as ruas estão desertas.

“Durante o dia ainda se vê pessoas, mas à noite não há ninguém nas ruas. Fukushima era uma cidade onde as pessoas saiam para beber um copo. Agora não. Quando se vai a um bar, fecham às dez para poupar energia”, diz o dono de um bar.

A restauração é um dos setores mais afetados

Muitos dos partos tradicionais não podem ser servidos devido à contaminação de vegetais, carne e peixe.

“As pessoas têm medo e vão para casa e não saem Acho que 30 por cento dos bares e restaurantes vão ter de fechar”, sublinha o proprietário de um pequeno restaurante.

Mais de duas semanas depois do sismo e maremoto, continuam a existir fugas de radioatividade na central nuclear.

O governo e a operadora da unidade não vislumbram o fim do maior acidente nuclear depois de Chernobyl.