Última hora

Última hora

Costa do Marfim: combates violentos junto ao palácio presidencial de Abidjan

Em leitura:

Costa do Marfim: combates violentos junto ao palácio presidencial de Abidjan

Tamanho do texto Aa Aa

A capital da Costa do Marfim, Abidjan, voltou a ser palco de intensos combates entre os militares leais ao chefe de Estado cessante Laurent Gbagbo e as forças de Alassane Ouattara, presidente reconhecido pela comunidade internacional.

Foram ouvidas explosões e tiros de armamento pesado junto ao palácio presidencial, que os apoiantes de Ouattara afirmam agora controlar.

A evidenciar o recrudescimento da violência, a Cruz Vermelha Internacional contabilizou 800 mortos nos combates de terça-feira em Duékoué, quando as forças de Ouattara conquistaram a cidade. A missão da ONU na Costa do Marfim contabilizou mais de 400 mortos, atribuindo responsabilidades aos dois campos.

Os soldados leais a Gbagbo reconquistaram a televisão estatal em Abidjan e um grupo de oficiais aproveitou para instar à mobilização das tropas contra os opositores. O campo do presidente cessante garante que Gbagbo continua no país e não se irá render.

A chefe da diplomacia europeia, Catherine Ashton, pediu a sua saída “imediata” e disse que os autores de violações dos direitos humanos enfrentarão a justiça internacional.

Face à violência na capital cerca de 1400 expatriados, na maioria franceses, procuraram refúgio na base militar de Port Bouet, onde está estacionada a missão francesa Licorne.