Última hora

Última hora

Polícia iemenita dispara sobre manifestantes em Taiz e Hudaïda

Em leitura:

Polícia iemenita dispara sobre manifestantes em Taiz e Hudaïda

Tamanho do texto Aa Aa

O regime iemenita intensifica a repressão contra os manifestantes que exigem a demissão do presidente Ali Abdullah Saleh.

Pelo menos 15 pessoas morreram na cidade de Taiz, a sul da capital, depois da polícia e de civis armados terem disparado sobre os manifestantes esta manhã.

Desde domingo que dezenas de milhares de pessoas protestam frente à sede do governo local onde duas pessoas foram ontem mortas.

Há registo de centenas de feridos também na cidade portuária de Hudaïda, onde a polícia recorreu a balas reais e a gás lacrimogéneo para dispersar as manifestações.

Na capital Sanaa, a oposição afirma ter impedido, sem violência, uma ofensiva da polícia para desmantelar um acampamento na universidade local onde centenas de manifestantes protestam desde fevereiro.

Uma manifestante afirma que, “a mensagem dos manifestantes não é dirigida ao presidente, que ignora desde há semanas os protestos, mas aos Estados Unidos e à União Europeia para que apoiem os revolucionários e não um presidente que só representa os seus interesses pessoais”.

Segundo fontes diplomáticas, Washington, que até agora apoiava o chefe de Estado, estaria já a discutir a possibilidade de organizar um governo transitório com o apoio dos militares.

Saleh rejeita abandonar o poder até às próximas eleições em 2013, afirmando-se pronto a negociar com a oposição.