Última hora

Última hora

Lua-de-mel radical

Em leitura:

Lua-de-mel radical

Tamanho do texto Aa Aa

Quando Stefan e Erika Svanstrom partiram da Suécia juntamente com o seu bebé para a viagem de lua-de-mel de quatro meses, mal podiam imaginar que o itinerário incluiria uma tempestade de neve, um ciclone, cheias, incêndios, um sismo e como apoteose, um desastre nuclear.

“Começou com uma tempestade de neve na Alemanha que nos fez perder um dia…

Depois foram os incêndios em Perth e as monções as tempestades no Bali, na Indonésia…

De seguida em Queensland, na Austrália, apanhámos o ciclone Yasi, que foi o mais violento de sempre.

Partimos para a Nova Zelândia, e a minha mãe telefonou-me durante o voo: Estás bem? Onde estás? Está na zona do terramoto?

Terminámos com um sismo em Tóquio. Na Austrália também fomos de automóvel para Brisbane depois das cheias. Eis um breve resumo do que aconteceu”, relatou o casal sobrevivente…