Última hora

Última hora

Oposição húngara denuncia aquela que já é chamada "Constituição Orban"

Em leitura:

Oposição húngara denuncia aquela que já é chamada "Constituição Orban"

Tamanho do texto Aa Aa

O projeto do primeiro-ministro ultraconservador, Viktor Orban, foi adotado sem surpresas pela maioria parlamentar, esta segunda-feira.

Os socialistas e os ecologistas boicotaram a votação e a extrema-direita manifestou-se contra.

A nova Constituição faz referências a Deus, ao cristianismo e à família tradicional. Os opositores falam de descriminação relativamente aos não-cristãos e homossexuais e estimam que se caminha para a interdição do aborto.

Enquanto a votação decorria, a oposição juntou-se numa reunião de protesto, onde participou o ex-primeiro-ministro socialista Ferenc Gyurcsany.

E como a cor do partido no poder – Fidesz – é laranja, houve quem mostrasse o descontentamento geral com um simples gesto…

———————-

WEB

Hungria: oposição denuncia “Constituição Orban”

Sem surpresas, a nova Constituição húngara foi adotada pela maioria parlamentar, esta segunda-feira. Os socialistas e os ecologistas boicotaram a votação e a extrema-direita manifestou-se contra.

O projeto do primeiro-ministro ultraconservador, Viktor Orban, já foi batizado pela imprensa húngara como “Constituição Orban”. Os críticos consideram o texto como um atentado às liberdades fundamentais e uma forma de o primeiro-ministro reforçar o poder pessoal.

A nova Constituição faz referências a Deus, ao cristianismo e à família tradicional. Os opositores falam de descriminação relativamente aos não-cristãos e aos homossexuais e estimam que se caminha para a interdição do aborto.

Enquanto a votação decorria, socialistas e ecologistas juntaram-se numa reunião de protesto. Entre os militantes e deputados, destacava-se o ex-primeiro-ministro socialista Ferenc Gyurcsany.

Houve quem mostrasse o descontentamento geral com o rebentar de um balão laranja, a cor do partido no poder, Fidesz.