Última hora

Última hora

Rebeldes líbios: "forças francesas eram mais eficientes"

Em leitura:

Rebeldes líbios: "forças francesas eram mais eficientes"

Tamanho do texto Aa Aa

A França diz sim aos bombardeamento da Nato na Líbia, mas opõe-se ao envio de tropas para o terreno.

A posição foi transmitida pelo ministro dos Negócios Estrangeiros, numa altura em que os rebeldes líbios pedem reforços para derrotar Muammar Kadhafi.

A Grã-Bretanha anunciou, entretanto, que vai enviar conselheiros militares para Bengasi. O objetivo é melhorar as estruturas de organização, comunicações e logística.

No terreno, são muitos os que criticam a prestação da Aliança Atlântica:

Um opositor ao regime mostra algumas reticências em relação à NATO. Diz que os aviões nem sempre estão presentes, quando precisam e considera que no início da operação, as forças francesas eram mais eficientes.

Outras Notícias: Itália apoia venda de petróleo de rebeldes líbios

O Conselho Nacional de Transição defende que Kadhafi não vai abandonar o poder de livre vontade e que o recurso à força é a única alternativa para pôr fim ao regime.

Na Líbia, a revolução também se faz pela música e a liberdade é uma das palavras mais ouvidas.