Última hora

Última hora

Governo líbio reage à morte de jornalistas

Em leitura:

Governo líbio reage à morte de jornalistas

Tamanho do texto Aa Aa

Os bombardeamentos do coronel Kadafi em Misrata na quarta-feira vitimaram dois fotorrepórteres de guerra: Tim Hetherington, colaborador britânico da revista americana Vanity Fair, e o norte-americano Chris Hondros, da agência Getty. Dois outros jornalistas ficaram feridos.
 
Tim Hetherington cobriu inúmeros conflitos nos últimos dez anos e ganhou vários prémios, incluindo o World Press Photo de 2007 e chegou a ser nomeado para os Óscares.
 
Chris Hondros era também muito experiente, chegou a estar na corrida para o prémio Pulitzer. Morreu no mesmo dia em que uma foto sua fez capa do Washington Post.
 
O porta-voz do governo líbio disse lamentar o sucedido. “Escute, não matamos quem não luta contra nós. Precisamos de averiguar as circunstâncias em que os jornalistas morreram. E isto é guerra, claro que pessoas morrem, tanto do lado deles como do nosso. E depois há pessoas apanhadas no meio. Não sabemos as circunstâncias, temos que investigar mas naturalmente que estamos muito tristes pelo facto de alguém ter morrido”, referiu Moussa Ibrahim.
 
Misrata está cercada há inúmeras semanas. Do terreno surgem denúncias de que as forças leais a Kadafi estão a utilizar bombas de fragmentação e a bombardear indiscriminadamente.