Última hora

Última hora

Japão recorda vítimas

Em leitura:

Japão recorda vítimas

Tamanho do texto Aa Aa

Em muitas cidades do Japão, o domingo de Páscoa foi consagrado à homenagem das vítimas do sismo e do tsunami, de 11 de Março.

Foi o caso de Minamisanriku, uma pequena cidade que perdeu 57 habitantes, na trajédia.

Foi inauguradio um memorial para os perpetuar.

Mas os japoneses, agora, só pensam em recuperar tudo o que foi perdido.

Conscientes de que há perdas irrecuperáveis, como reconhece um dos habitantes:

“Perdi 10 pessoas da minha família e é muito pesado viver agarrado a isto”.

A dificuldade de esquecer uma tragédia que ainda está fresca.

A ajuda internacional já começou a chegar, sobretudo dos Estados Unidos.

Mas o Japão quer, mais que ajuda, cooperação.

O Governo aprovou mais uma tranche do apoio à reconstrução, de 48.5 mil milhões de euros.

Os custos já apurados excedem os 300 mil milhões.

Mas debaixo dos escombros, ainda há muita coisa escondida.

Depois do tsunami, veio a catástrofe nuclear e agora é necessário vigiar a população, mais exposta aos perigos da contaminação. Sobretudo, na região da central de Fukushima.

A dimensão dos perigos só se poderá avaliar com alguma precisão, daqui a seis meses.

Também em Tóquio, as vitimas da catástrofe foram recordadas, com emoção.

Quarenta e quatro dias depois, ainda há gente à procura de familiares.