Última hora

Última hora

Guantánamo:as novas revelações WikiLeaks

Em leitura:

Guantánamo:as novas revelações WikiLeaks

Tamanho do texto Aa Aa

De Guantánamo foram libertados prisioneiros de “alto risco” ao passo que pessoas inocentes ficaram detidas. Isto, a acreditar no conteúdo de mais de 700 documentos militares a que o WikiLeaks teve acesso – e que o New York Times agora publicou.

Num longo artigo, o jornal norte-americano dá conta de que cerca 200 detidos considerados de “alto risco”, já que podiam constituir uma ameaça para os Estados Unidos ou para os seus aliados, foram libertados ou extraditados para países terceiros, sem qualquer reabilitação ou supervisão.

Segundo os documentos do WikiLeaks, pelo contrário, 150 dos detidos em Guantánamo eram pessoas inocentes, que estiveram no sítio errado à hora errada!

A administração norte-americana, que já deplorou a publicação “infeliz” destes documentos, defendeu-se, explicando ter tido todos os cuidados na transferência de detidos.